Amazonas registra aumento de 38% nos casos de Sindrome Respiratória
10/07/2024 10:38 em Manaus & Municípios

Número de óbitos por SRAG registrou aumento, assim como a procura por medicação. Números constam no boletim epidemiológico divulgado pela Fundação de Vigilância em Saúde

 

O Amazonas registrou um aumento de 38% na notificação de pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), subindo de 1.868 mil casos registrados até 8 de junho, para 2.578 mil casos notificados até 5 de julho.

 

Os números estão presentes no último Informe Epidemiológico de Vírus Respiratórios emitido na última segunda-feira (8) pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-RCP).

 

Ainda conforme o boletim, desses 2.559 mil casos notificados de SRAG, foram identificados 1.157 mil SRAG por vírus respiratórios, sendo 73 nas últimas 3 semanas (16 de junho a 05 de julho).

 

O número de mortes por vírus respiratórios também aumentou. Até 5 de julho deste ano foram registrados 25 mortes - no último boletim emitido dia 8 junho, só constavam 17 mortes por vírus respiratórios. Um aumento percentual de 47% para óbitos entre os dois boletins.

 

Faixa etária

O boletim informa também que nas últimas três semanas, a faixa etária mais atingida são crianças menores de 1 ano (37%); 1 a 4 anos (16%); mas há também ocorrência de em pessoas com mais de 60 anos de idade (24%).

 

É importante destacar que, no período de 1º a 5 de julho, entre os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) causados por vírus respiratórios, os de maior circulação foram: SARS-CoV-2 (29%) - ou mais conhecido como Covid-19 (coronavírus); Rinovírus (19%); Vírus Sincicial Respiratório (VSR) (15%); Adenovírus (5%) e Influenza A (2%).

 

Boletim Epidemiológico (Foto: Divulgação/FVS-RCP)

 

Medicação

Proporcionalmente ao aumento de notificações de síndromes respiratórias, cresce também a procura de medicamentos antigripais e antialérgicos na capital amazonense.

 

Em resposta à solicitação da equipe de reportagem de A CRÍTICA, o Grupo Tapajós informou que nas últimas semanas observou um aumento significativo na demanda por medicamentos antigripais e antialérgicos nas três redes de drogarias do grupo farmacêutico em Manaus.

 

“A maior procura está diretamente relacionada com a chegada da estação seca na região, conhecida por agravar condições respiratórias e alérgicas”, afirmou em nota.

 

De abril para maio deste ano, houve um aumento de 16,74% nas vendas dos quatro medicamentos mais procurados: Cimegripe, Benegripe, Resfenol e Coristina. A tendência de crescimento se acentuou de maio para junho, com um salto de 59,49% na demanda.

 

Os primeiros dias de julho já indicam uma continuidade no aumento do consumo, com um crescimento de 64,14% em relação ao mesmo período de junho, destacando-se o notável aumento na procura por Resfenol e Coristina, que registraram os maiores índices de crescimento.

 

“O Grupo Tapajós está atento a essas mudanças no comportamento do consumidor e reforça seu compromisso em manter o abastecimento adequado para atender à crescente demanda, garantindo que os produtos estejam disponíveis para a população de Manaus durante este período crítico”, acrescentou.

 

Prevenção

Entretanto, para prevenir a SRAG, a FVS-RCP recomenda a adoção de medidas não farmacológicas, como o uso de máscaras de proteção respiratória, manter as mãos higienizadas, etiqueta respiratória e a vacinação contra covid-19 e influenza.

 

Máscara facial segue como melhor forma de prevenção contra vírus respiratórios (Foto: Junio Matos/AC/2022)

Por: Lucas Vasconcelos / online@acritica.com

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!